retina

pequenino 54A verdade sobre o hormônio do crescimento, o GH

Por Claudia Cozer Kalil*

Como detectar precocemente se seu filho tem algum problema no crescimento? Cada criança tem um potencial de crescimento próprio, o qual deve ser reconhecido e respeitado.

Não existe uma altura ideal para cada idade, mas uma faixa de normalidade que abrange várias estaturas.

O importante é acompanhar regularmente esse crescimento através da curva de altura e observar se a criança cresce abaixo da última linha do gráfico ou se o crescimento está desacelerando sem motivo ou ainda saindo da faixa esperada para altura da sua família.

O EASYOFFICE é a forma mais inteligente, adequada e rentável para quem busca estruturar seu negócio sem maiores investimentos, afinal não é necessário alugar um espaço de maneira convencional, o que gera custos e encargos altos.

Configurada alguma dessas situações especiais, é essencial procurar orientação médica a fim de que seja realizada uma avaliação da velocidade de crescimento anual e uma previsão de estatura final para os pais considerando-se a idade e o sexo da criança.

Cabe ressaltar que o crescimento pode ser influenciado pela qualidade da alimentação, atividade física, doenças (como hipotireoidismo, falta hormônio de crescimento, insuficiência renal e síndromes genéticas), uso de medicamentos, fatores psicológicos e baixa produção endógena de hormônio do crescimento.

A maioria dos casos de crianças com baixa estatura reflete apenas a expectativa dos pais de que seus filhos sejam mais altos. Isso porque muitas vezes a baixa estatura decorre de fatores genéticos, não sendo necessário, dessa forma, a condução de tratamento hormonal. Em contrapartida, pais e mães baixos podem não atentar para sinais de crescimento fora do padrão de normalidade, justamente por já esperarem a baixa estatura de seus filhos. Isso pode remeter a um erro irreparável. Quem sabe esses pais também não tinham problema de crescimento não diagnosticados adequadamente?


Afinal, foi somente após a década de oitenta que padronizaram os testes para avaliar a secreção endógena de hormônio de crescimento, bem como o início do uso terapêutico do hormônio de crescimento produzido por engenharia genética.

O tratamento com o GH, hormônio do crescimento, não garante que a estatura alvo calculada será atingida. Porém, é fundamental propor e discutir a reposição hormonal antes da consolidação da idade óssea, processo que ocorre por volta dos 13 anos de idade.

O temor de alguns no uso do hormônio do crescimento é baseado muito mais em hipóteses sobre o que poderia acontecer e não no que realmente acontece. Sobre a suposta associação com o risco de câncer, os estudos mostram que pacientes que usaram o hormônio do crescimento por muitos anos, em comparação com a população que não usou, tiveram a mesma incidência de tumores. Não existe nenhuma relação do uso de hormônio de crescimento com problemas sexuais ou nas gônadas. Importante também ressaltar que a reposição com hormônio do crescimento só existe sob a forma de injeções subcutâneas.

Portanto, se há dúvida sobre a estatura final do seu filho, não hesite em procurar auxilio médico precocemente e iniciar o tratamento adequado.

claudia cozer 2

FONTE: VEJA

1 a easy 2

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Curta nossa página no Facebook!

 

Técnicas Agrícolas Fáceis

fazenda2 

A MELHOR RÁDIO DO BRASIL

UMAP-VCA

umap-555dfe

Parceiro

naturagua

NOSSOS ACESSOS PELO MUNDO!